Ação da Endeleza arrecadou recursos para a Escola Furacão na África

15/04/2018 - Imprensa CAP
Créditos: Cahuê Miranda/Site Oficial
Centenas de torcedores que foram ao estádio atleticano neste domingo (15), para acompanhar a estreia do Rubro-Negro no Campeonato Brasileiro 2018, contribuíram com o projeto que levou a Escola Furacão para a África. Eles aproveitaram a chance de concorrer a três camisas oficiais autografadas e faturar brindes exclusivos do Atlético Paranaense.
 
As rifas das camisas autografadas foram vendidas pelos voluntários da Endeleza, ONG que é parceira do Rubro-Negro e da FUNCAP no projeto da Escola Furacão Mugae, no Quênia. Quem comprava um bilhete no valor de R$ 10, também podia participar de uma ação especial.
 
Na esplanada do estádio, foi montado um pequeno campo de terra. Com uma bola feita de sacolas e barbantes, semelhante às usadas pelas crianças e adolescentes quenianos, os participantes tinham duas chances para acertar o alvo e ganhar um brinde.
 
As camisas autografas serão sorteadas quando forem vendidas duas mil rifas ou até a próxima sexta-feira (20). A renda obtida com a venda das rifas será revertida para a “Escola Primária Sustentável” mantida pela Endeleza, que abriga a Escola Furacão no Quênia, a primeira de um clube de futebol brasileiro no continente africano.
 
Cinquenta crianças e adolescentes treinam na Escola Furacão, inaugurada oficialmente em julho de 2017, quando representantes do Atlético Paranaense e da FUNCAP levaram pessoalmente kits com uniformes, chuteiras, bolas e materiais de treinamento.
 
Primeiro a acertar o alvo e a faturar um brinde do Furacão, o atleticano Celso de Jesus conheceu ontem (14) o projeto do Clube na África. “É uma ótima iniciativa. Tudo o que possa ajudar as pessoas e divulgar o Atlético de uma forma positiva vale a pena. Por isso fiz questão de colaborar. Pra melhorar, ainda ganhei um prêmio”, afirmou.
 
O presidente da Endeleza, José Lucas Seleme, comemorou o apoio da torcida atleticana. “É muito bom ver a torcida do Atlético engajada no apoio a nosso projeto e às crianças de Mugae. Nós acreditamos no esporte como um ferramenta de inclusão social e a torcida está compreendendo a importância do apoio do Clube a essa iniciativa”, destacou.