Estádio Atlético Paranaense recebe certificação internacional LEED

07/12/2017 - Imprensa CAP
O Estádio Atlético Paranaense recebeu mais uma importante certificação internacional, o certificado LEED [Leadership in Energy and Environmental Design] 2009 New Construction and Major Renovations. Receber esta certificação é de extrema importância para o Estádio Atlético Paranaense, já que poucos estádios em todo o mundo receberam este reconhecimento que atesta a adoção de conceitos de sustentabilidade.
 
A certificação do estádio atleticano se enquadrou na categoria Silver, com 50 pontos. Certificação voluntária, desenvolvida pela instituição americana U.S Green Building Council [USGBC], a LEED tem como objetivo incrementar o desempenho de edifícios em eficiência energética, gestão de recursos hídricos, redução das emissões de CO2, qualidade de ar interno e a gestão de recursos naturais.
 
O sistema de classificação LEED oferece uma estrutura clara e concisa que permite identificar e implementar padrões passíveis de medição durante as fases de projeto, construção, operação e manutenção. Ao mesmo tempo, sua flexibilidade permite que as diversas partes envolvidas decidam de que maneira pretendem atender aos requisitos LEED. Ademais, os critérios e estratégias deste sistema também servem como uma ferramenta poderosa para orientar e melhorar os padrões de qualidade de projetos e construções.
 
O Estádio Atlético Paranaense se destaca em pontos como a eficiência do uso de água, redução no consumo de energia, além de terrenos sustentáveis, qualidade do ambiente interno e inovação e design. Durante as reformas de ampliação e construção, a CAP S/A deu ênfase na reciclagem e reutilização dos resíduos utilizados na obra (75% dos materiais utilizados) e ao uso de matérias-primas certificadas.
 
O processo de certificação começou com o projeto da reforma do Estádio em 2011 para atender aos requisitos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da FIFA. Este processo evoluiu paralelamente com a execução da obra até o início da Copa do Mundo de 2014. Posteriormente aos jogos do Mundial, o processo foi reativado dando sequência à finalização das obras definidas no plano de certificação, que foi concluído no final de novembro de 2017.
 
As decisões de projeto foram direcionadas para atender as normas internacionais de eficiência energética definidas pela USGBC. Diversas medidas de projeto e de execução foram aplicadas para atender os requisitos de eficiência definidos. Cabe destacar que o Estádio em termos globais consegue uma redução de consumo de energia de 19,6%.
 
 
Confira outros pontos de destaque:
 
 
- Estrutura existente e reforma
O projeto manteve 82% das estruturas originais do Estádio conseguindo aumentar a capacidade de 28.000 para 43.000 lugares, considerando os padrões de conforto FIFA definidas na Green Guide e as normativas do Corpo de Bombeiros.
 
 
- Reaproveitamento de águas pluviais
O sistema de captação pluvial da cobertura acumula água de chuva em diversos reservatórios subterrâneos dispostos em volta do campo. Esta água é reaproveitada no campo de jogo e no sistema hidráulico paralelo de descargas dos vasos, provocando uma redução no consumo de 78,48%. O consumo das torneiras está regulado por arejadores que controlam a vazão e por temporizadores eletrônicos.
 
 
- Resíduos de obra
Dos resíduos gerados durante a execução da obra, 77,3% foram reciclados ou reusados. O gerenciamento de matérias residuais ocorreu no período de obra completo.
 
 
- Energia elétrica
A instalação de painéis fotovoltaicos provoca uma redução no consumo de 5,53%. Esta redução se complementa com a instalação de sensores de presença nas circulações gerais do Estádio. Cabe destacar o uso de iluminação LED no 100% dos espaços e circulações.
 
 
- Qualidade do ar
Todos os ambientes foram projetados para cumprir com normas internacionais de qualidade do ar. Em vários casos foram instalados sistemas de exaustões e ventilações mecânicas para atingir o padrão descrito pela USGBC.
 
 
- Estacionamento
Foram dispostas vagas de estacionamento para veículos eficientes e veículos de carona junto com a execução de bicicletários a fim de incentivar a mobilidade eficiente dos usuários das instalações.
 
 
Em relação aos estádios brasileiros construídos para a Copa do Mundo de 2014, o Estádio Atlético Paranaense está na quinta colocação na pontuação da certificação LEED.
 
Confira o ranking abaixo:
 
 
ESTÁDIOS COPA DO MUNDO
 
1º - Estádio Mineirão, Belo Horizonte: 81 pontos, certificação Platinium
2º - Arena Pernambuco, Recife: 59, pontos, certificação Silver
3º - Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro: 58 pontos, certificação Silver
4º - Arena Fonte Nova, Salvador: 53 pontos, certificação Silver
5º - Estádio Atlético Paranaense, Curitiba: 50 pontos, certificação Silver
6º - Estádio das Dunas, Natal: 48 pontos, certificação Básica
7º - Estádio Castelão, Fortaleza: 46 pontos, certificação Básica
8º - Arena Corinthians, São Paulo: 45 pontos, certificação Básica
9º - Arena Amazônia, Manaus: 41 pontos, certificação Básica
10º - Estádio Beira-Rio, Porto Alegre: Certificado (sem informações no site da USGBC)
11º - Estádio Nacional de Brasília, DF: Certificação em progresso
12º - Arena Pantanal, Cuiabá: Certificação em progresso
 
 
Clique aqui e confira o scorecard do Estádio Atlético Paranaense.